Notícias

Trump culpa grupos antirracismo por violência em Charlottesville

Para a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, a Operação Lava Jato é “imparável”.

Questionada pelo Portal Jovem Pan após participar do fórum Mitos e Fatos se ela temia alguma mudança no rumo da Lava Jato, Cármen Lúcia sorriu e decretou a frase simples: “é imparável”.

Depois, cercada por jornalistas, a ministra respondeu que não está pautada na Corte nenhuma reavaliação da prisão para condenados em segunda instância.

Pouco antes, porém, Cármen Lúcia recebeu recado do juiz federal Sergio Moro, que também participou do fórum: “estou preocupado com a segunda instância”. Ao que Cármen respondeu: “eu não mudei”.

Em outubro de 2016, a maioria do Supremo definiu que a Constituição não impede a prisão antes do transitado em julgado (julgamento de todos os recursos ao STF ou STJ). A possibilidade de detenção mais célere apressou acordos de delação de investigados e presos preventivos da Lava Jato.

Naquele julgamento, Cármen Lúcia, já presidente da Corte, reafirmou o posicionamento que já dera em 2010 a favor da prisão pós-condenação em segunda instância.

No último dia 8 de agosto o julgamento de um habeas corpus questionando a prisão em segunda instância foi interrompido por vistas do ministro Edson Fachin na Segunda Turma. Ricardo Lewandowski (relator), Gilmar Mendes e Celso de Mello votaram entendendo que o réu pode responder em liberdade até ter o último recurso julgado pela terceira instância.

Compartilhe nas suas redes sociais!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Confira nossas últimas postagens