Notícias

Sindiscam é contra a adoção de ‘Hora por Hora’ e escala nos locais de Trabalho

Foi solicitado uma audiência em Caráter de Urgência para debater o assunto. As gestões anteriores, antes de adotar medidas, procuravam o sindicato para conhecimento e posicionamento.

O Sindiscam protocolou documento na última sexta-feira (30 de novembro) endereçado ao Prefeito Municipal se manifestando contra a adoção de hora por hora, pois não está sendo acrescido os 50 ou 75 por cento nas horas extraordinárias. A medida, além de prejudicar o atendimento à população, visa a reposição da carga horária em dias ou horários não comuns às categorias.

No ofício, apontou-se que se leve em consideração a qualidade de prestação de serviços, a forma que a medida foi tomada sem comunicação anterior ou avaliação junto aos servidores, que trabalhos em horários noturnos ou finais de semanas tem adicionais de horas extras.

Para o presidente Dione Clei Valério, até mesmo o critério de redução de despesas é limitado. “O artigo 169 da Constituição traz em seu texto e parágrafos, que medidas para a redução do limite prudencial deve levar em conta primeiramente o corte de 20% dos cargos em comissões e funções de confiança. Não dá para a conta sair somente nas costas dos servidores que atendem a população, as vezes até sem condições de trabalho”, afirmou.

O Sindiscam, portanto, vê a adoção como uma medida que fere direitos dos servidores. Direitos esses já conquistados, e afirma que a adoção de uma nova organização e escala de trabalho deve ser bilateral, conforme exige a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Pedimos o diálogo, para a revisão do decreto, alterando ou revogando.

Clique aqui e veja o Ofício na Íntegra.

 

Compartilhe nas suas redes sociais!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Confira nossas últimas postagens